Red Balloon (2010)


Chover no molhado! – é a expressão mais próxima que consigo encontrar quando repito diversas vezes que artistas, independentes ou não, dão o melhor de si em produções de baixo orçamento em que acreditam. E esse, obviamente, é o caso do curta britânico premiado: RED BALLOON dos diretores Alexis Wajsbrot e Damien Macé, distribuído pela Hurricane Production.
O curta de treze minutos é baseado na lenda urbana de décadas passadas onde Julie(Rachel Bright) trabalha de babá cuidando na fatídica noite da pequena Dorothy(Niamh Palmer Watson) até que um grito no andar superior interrompe a paz.
Clichês básicos de qualquer produção que conte história envolvendo adolescentes, lendas urbanas e/ou psicopatas: a adolescente sozinha, a casa antiga,  o telefone disponível e a criança-signo-da-fragilidade. Estes elementos que por sua vez já foram extensamente abordados por filmes como em Lendas Urbanas(Urban Legend,1998) retrocedendo até clássicos como em Mensageiro da Morte(When a Stranger Calls,1979 e 2006) e algumas pitadas de slasher movies como Pânico(Scream,1996).
O fato de ter no enredo uma criança já facilitaria um pouco o nosso enlace afetivo dada a nossa predisposição as vê-las como signo de inocência e fragilidade, infelizmente essa empatia ficou prejudicada pela precária atuação da pequena Niamh onde a personagem as vezes parecia manifestar alguma forma de autismo.
Apesar da premissa não ser original e o roteiro nada muito desenvolvido – dado a natureza um tanto slasher – o curta gerou uma enorme aceitação nos festivais internacionais pela sua excelente execução dando o clima certo para o seu ápice. Cumpre bem o que prometeu, e ainda o faz dentre o desafio do tempo.
E não era para menos: os dois diretores do curta serem estreantes como diretores mas possuem experiência em outras posições no cinema profissional e são creditados nos efeitos visuais em filmes como Harry Potter e a Ordem da Fênix(Harry Potter and the Order of the Phoenix,2007), Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Flet(Sweeney Todd: The Demon Barber of Fleet Street, 2007), Principe da Pérsia(Prince of Persia: The Sands of Time, 2010), Sherlock Homes(Sherlock Holmes, 2009), Sua Alteza(Your Highness, 2011), Avatar(Avatar, 2009) e tantos outros; Contando ainda na colorização com a participação de Jean Clement Soret(Colorista oficial dos filmes de Danny Boyle).
Tecnicamente arrojado o curta teve toques acertivos como o uso de coloração amarelo/laranja ao invés do azul frio(moonlight) utilizados no cinema americano – como declarado por Alex em entrevista. Influências inclusive de outro filme utilizado como pesquisa o Os Estranhos(The Strangers, 2008), dando à casa não um ar mais assombrado e sim um ambiente confortável. Utilizou-se ainda da câmera RED que facilitou a movimentação e tomadas mais rápidas, um recurso muito além do possível para diversas produções independente.

O orçamento do curta ficou em torno de nove mil e setecentos dólares ($9.700,00) e até então não foi divulgado a quantia arrecada entre prêmios e exibições. Ele está disponível gratuita e legalmente na internet, assista aqui abaixo: 

Anúncios

~ por Edward "Toy" Facundo em 15 de abril de 2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: